sexta-feira, 5 de junho de 2009

SÉRIE: PERSONALIDADES DA MÚSICA INSTRUMENTAL – ORILO SEGUNDO DANTAS DE MELO


Orilo Segundo Dantas de Melo, popularmente conhecido como “Segundo”, nasceu na cidade de Ouro Branco-RN em 28 de junho de 1971, filho caçula de Orilo Dantas de Melo e Iraci dos Anjos Sales, aos sete anos de idade mudou-se para a cidade de Jardim do Seridó, onde por meio do seu irmão Bartho – que cantava especialmente hinos sacros - entra em contato pela primeira vez com a música. Através daquelas composições, Segundo passou a entender o uso dos duos entre vozes, já que ele sempre executava a segunda voz. Nesse mesmo período, o mesmo irmão começou a ensinar-lhe a tocar violão.

Mas foi com a harmônica (realejo) e a flauta doce que Orilo começou a trilhar o seu caminho na música, instrumentos os quais também foram executados por este em encontros e eventos religiosos em igrejas.

No ano de 1981, ingressou na escola de música da Euterpe. Na época, a escola era dirigida por Francisco Azevedo, (Neném de Chicó), que foi o seu primeiro professor de leitura musical e solfejo. Por motivos pessoais teve que adiar o seu sonho de fazer parte da Euterpe, o qual veio a acontecer em 1984. Tocou em conjuntos musicais como Banda Mithos, Raízes do Som, Orange Som, Banda Paraíso e Banda Sygnus, se apresentando também em várias casas noturnas e na noite em geral.

Em 1990, Orilo assumiu a função de contramestre na qual permaneceu por um ano e meio. Em primeiro de abril de 1993, assume a regência da Banda Musical Euterpe Jardinense, cargo que ocupa até hoje, sendo este o regente que durante toda história da banda atuou por mais tempo (16 anos).

Com sua competência, habilidade, humildade, amistosidade, e senso de justiça, Segundo conquista a amizade e o respeito de todos os músicos da Euterpe, tendo como conseqüência, o ótimo desempenho da banda em suas execuções e apresentações, as quais sempre provocam como reação, o aplauso contagiante e intenso do público.

Desde seu ingresso na Euterpe até o presente momento, Orilo compôs inúmeras composições, consideradas por apreciadores e conhecedores da música em vários estados do Nordeste brasileiro como verdadeiras “obras primas” da música instrumental nacional.

Segundo o próprio Maestro, dentre os vários momentos de relevância perpassados pela Euterpe sob a sua regência, o sesquicentenário da banda apresenta-se como especial:

“Falando em atualidade, creio que este sesquicentenário da Euterpe, é um grande marco. Poder vivenciar, e ainda participar, é realmente emocionante...”.


A seguir, algumas Composições de Orilo Segundo Dantas de Melo:

Dobrados:

1. Poeta Orilo Dantas;
2. Esquerdista;
3. Mestre Galinho;
4. Normando Nunes;
5. Dobrado Nº 05;
6. Dobrado Nº 06;
7. Prefeito Manoel Paulino;
8. Carlos Lacerda;
9. Manoel Felipe Nery;
10. Artifícios;
11. Mozart dos Santos Medeiros;
12. Eremita;
13. Edson Medeiros;
14. Henry Purcell;
15. Mão-de-Ferro;
16. Fantoche;
17. Jotilde;
18. Amigos de Sempre;
19. Dr. Edimar Medeiros Dantas;
20. Professor Moreira;
21. Padre Jocimar Dantas.

Valsas:
22. Dolores Portela;
23. Duas Lembranças;
24. Dona Luzia.

Marchas Graves:
25. Dona Iracy;
26. Padre Lucena.

Frevos:
27. Euterpe no Frevo;
28. Neném no Frevo;
29. Zé Meira no Frevo;
30. Vassourinha Outra Vez;
31. Carnavalesco;
32. Açúcar.

Frevo Canção:
33. Eu Brinco Até Cair (Orilo/Sílvio Melo)

Choros:
34. O Passarinho;
35. Complicado;
36. Recordando o Sax;
37. Carlinhos no Choro (Orilo/Sílvio Melo);

Fantasias:
38. Alegrai-vos;
39. Flores para Ti;
40. Letárgica.

Arranjos:
41. Yesterday;
42. Besame Mucho;
43. Tico-Tico no Fubá;
44. Clássicos em Marcha I;
45. Clássicos em Marcha II;
46. Caçador de Mim;
47. Bandeira Branca;
48. Aquarela Brasileira;
49. As Rosas não Falam;
50. Branca;
51. Andanças;
52. Qualquer Coisa;
53. Bridge Over Troubled Water;
54. Carinhoso;
55. Raul Seixas Vive;
56. Tributo a Elino Julião;
57. Tributo a Elvis Presley;
58. Amor Perfeito;
59. Que Nem Maré;
60. Abalou;
61. Scorpions;
62. Jardim, 150 Anos;
63. Her Shadow of Your Smile;
64. Sonda-me;
65. A Padroeira;
66. Tu És Senhor;
67. Como Uma Onda;
68. Criança Feliz;
69. Feliz Ano Novo;
70. Pout-Porri Natalino;
71. Final Feliz;
72. Beijo;
73. Cruzeta do Bem;
74. Iêda Cunha;

Baiões:
75. Capiau
76. Alma Nordestina

Temas:
77. Tema Abertura;
78. Tema Nº 01;
79. Tema Nº 02 - Luzes;
80. Tema Jeane;

Hinos:
81. Hino do Sesquicentenário da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição (Orilo/Bartho);
82. Hino do Sesquicentenário de Emancipação Política de Jardim do Seridó (Orilo/Bartho);

Diversas:
83. Prece e Lamento (para violão com flauta);
84. Quase Nada (para violão);
85. Laser (para violão)
86. Minueto (para violão);
87. Desertos (valsa para violão);
88. I, You And The Sax (para quarteto).

Por: Antônio Ferreira Dantas Júnior (Junhão)

Um comentário:

  1. mais do que uma justa homenagem ao nosso grande maestro orilo segundo,fiquei surpreso com essa lista de músicas ja compostas pelo mesmo,não é pra qualquer um.ele é sinceramente um grande artista da nossa terra.parabéns ao nosso maestro.

    ResponderExcluir