segunda-feira, 19 de setembro de 2011

AOS DO CONTATO SERIDÓ E INTERESSADOS:




É incrível como vocês transparecem não conhecer nada do Seridó, quando esquecem que esta região tem suas Bandas de Música, com certeza, o principal cartão postal de nossa cultura. Talvez uma das regiões de maior musicalidade do país. Todas as cidades têm Banda de Música. Quase a metade são centenárias e algumas com mais de 150 anos! Como esquecer isso? Seria preconceito?!

Deveríamos colocar à frente de nossas bandas, algumas dançarinas seminuas para sermos incluídos como cultural oficial e assim ser um ponto de destaque em nossa região? A mesma região de Felinto Lúcio Dantas, Tonheca Dantas, Urbano Medeiros, Jaime Brito, Márcio Dantas, Ubaldo Medeiros, Manoel Felipe Neri, Chiquito, Maestro Pinta, Ernandi Lucena, Marciano Ribeiro e tantos outros, inclusive os de nossa contemporaneidade. Desconhecem que só aqui, na pequenina Cruzeta, existem quase uma centena de músicos formados, graduados ou graduandos? Surgem a cada dia novos compositores, arranjadores,  instrumentistas e regentes de alto nível, alguns deles ocupando espaços importantes no cenário musical potiguar, no país e até no exterior

Desde 1856 que a Banda Euterpe Jardinense, de Jardim  do Seridó, ininterruptamente está presente nos festejos e mobilizações culturais daquele município e da região, sendo também o mesmo seguido pelas outras. Muitas com CDs gravados e até documentários apresentados em nível nacional, como é o caso da Filarmônica Felinto Lúcio Dantas, de Acari.

Desculpe a necessária franqueza, mas esta gestão é prejudicial à nossa cultura. As Bandas de Música do Seridó nunca estiveram tão ativas e produzindo tanto! Trabalho diário, descobrindo talentos, formando músicos e cidadãos e levando ao povo arte, cultura e diversão, resistindo frente o apagão cultural que escurece a alma desta nação.

Acho que a proposta de turismo para a nossa região está equivocada. Pois não somos uma região sem música, quando é justamente o contrário. Quero dizer boa música. Será mesmo que turistas, de verdade, não o turismo sexual, predador e especulativo, não se sentiram bem ao serem recebidos com Bandas de Música?! Lembro, agora, quando o professor cruzetense, Francisco Pereira, em excursão pelos Estados Unidos, se deparou com uma banda a tocar numa praça obras do compositor Felinto Lúcio. Ele, ao delírio, me comunica o fato e deveras emocionado, comentou: 'É indescritível minha alegria..." Mas ele é um homem de cultura!

Portanto, meus queridos, não parece ser seridoense de verdade quem está cuidando com tanto zelo dessa demanda, a qual em tudo falta-lhe a metade, já que lhe tiram sempre uma BANDA.

Por fim: a cidade de Carnaúba dos Dantas, popular e oficialmente batizada como a terra da música, no site Contato Seridó nada é colocado sobre isto, apenas uma pequena referência a Tonheca Dantas. Quando se sabe que o maestro Felinto Lúcio teve, inclusive, sua obra estudada e registrada por Radamés Gnatali, um dos maiores gênios da nossa música de todos os tempos.

Não posso conceber esse erro histórico como preconceito, seria realmente terrível e vergonhoso, sem contar que se cria um clima paradoxal. Quando mostra-se o que temos de melhor se esquece uma referência especial de nossa identidade cultural, sabe-se lá por que "cargas d'água"... Sei que podemos e devemos corrigir esse equívoco.

Por: Bembém Dantas

Nenhum comentário:

Postar um comentário